ARTIGOS

A vida continua: você pode ter uma vida longa, produtiva e saudável

Por Dr. Richard Portier

em 18 de julho de 2020.

JUNTA-SE A MAIS DE 10.000 PESSOAS

Entre para o nossa lista e receba dicas e conteúdos com exclusividade

No Brasil, o tratamento é universal e gratuito. Hoje, cerca de 93 % das pessoas que vivem com HIV (PVHIV) estão com a carga viral indetectável. Isso significa que a maioria viverá uma vida longa, saudável e produtiva.

Por isso faça o tratamento e cuide da sua saúde, e espere viver a mesma quantidade de anos da população geral – hoje espera-se que alguém que inicie o tratamento aos 35 anos, e seja saudável, viva até os 80 anos.

O HIV não precisa impedi-lo de continuar a sua vida. Eu tenho certeza que você cuidará mais da sua saúde do que antes. Algumas pessoas passam por um período de adaptação e reconsideram suas prioridades. Mas a maioria das PVHIV continua com seu trabalho e melhorem suas atividades habituais.

O vírus não pode impedir você de ter relacionamentos, ter filhos ou fazer planos para o futuro.

Posso ter um bebê?

Todos os anos, no Brasil, milhares de mulheres vivendo com HIV dão à luz a bebês saudáveis ​​que não têm o vírus. Mas é necessário para evitar a transmissão:

  1. Tomar medicamentos todos os dias, conforme prescrito pelo médico, durante a gravidez e o parto.
  2. Não amamentar.
  3. Dar um medicamento, durante 4 semanas, para o bebê.

Realizar corretamente o tratamento durante a gravidez e o parto protegerá seu bebê contra o vírus, assim como será importante para sua própria saúde – você precisará da sua saúde para cuidar dele, vê-lo crescer e se desenvolver.

Se a sua carga viral estiver indetectável, você poderá ter o parto vaginal, mas isso dependerá da indicação do obstetra.

Graças a essas medidas de segurança, em dez anos, o Brasil tem registrado queda na taxa de transmissão, que passou de 3,5 casos por 100 mil habitantes, em 2007, para 2 casos por 100 mil habitantes em 2017, o que corresponde a uma queda de 42%.

Se você está pensando em ter um bebê, mas ainda não está grávida, é uma boa ideia conversar com seu médico sobre como você pode se preparar para uma gravidez saudável.

Posso ser pai?

O HIV pode ser transmitido de mãe para bebê durante a gravidez, mas não pode ser transmitido diretamente do pai para o bebê.

O seu médico deve te aconselhar sobre como não transmitir o HIV para a parceira.

Para quem devo contar?

Se você acabou receber o diagnóstico, pode estar se sentindo triste ou confuso. É normal querer conversar sobre isso com outras pessoas. Porém não é uma boa ideia se apressar em dizer a muitas pessoas que você vive com o HIV. Pense bem, nunca poderá “dês” contar. Por isso, se você deseja conversar, mas não tem com quem conversar, entre no nosso grupo do Telegram.

Por outro lado, contar a pessoa certa pode ser uma experiência muito positiva. Ela poderá ajudá-lo a obter apoio quando mais precisar, e às vezes, isso acaba fortalecendo o seu relacionamento com ela.

Por isso, para cada pessoa que está pensando em contar, pense por que você quer contar a ela e o que você espera ao contá-la. Não conte por pressão. E tente pensar em isso afetará a pessoa. Imagine a melhor reação – e a pior. Você também deve pensar sobre o melhor momento e local para abordar o assunto, e certifique-se de dizer apenas às pessoas em quem pode confiar.

E minha última sugestão: você disse a alguém que iria fazer um teste de HIV? Se você fez, vale a pena pensar em como responderá caso ela te pergunte.

Devo contar à família e aos amigos?

Contar à família e aos amigos depende do tipo de relacionamento que você tem com eles. Se você normalmente não conversa assuntos pessoais, por que falar sobre isso?

Mas pode haver alguém com quem você confia, que foi útil no passado. Existe alguém calmo, solidário e confiável a quem você possa recorrer agora?

Geralmente, a reação da pessoa dependerá do que ela sabe ou pensa sobre o assunto. Existem muitos medos e mitos associados ao HIV. Lembre-se que as pessoas podem ser cruéis. Por isso, estude bem sobre o HIV e esteja preparado para responder perguntas. Passe segurança. Por isso preparei um livro completo sobre o HIV

Se você acredita que não está apto para a tarefa, converse com o seu médico sobre ele contar.

Devo contar ao seu parceiro (a) atual?

Se você está em um relacionamento no momento, avisar seu parceiro (a) é importante por dois motivos: poderá abrir uma fonte crucial de suporte; e você estará salvando a vida dele (a).

Eu não vou mentir – poderá ser uma situação difícil. Surgirão perguntas sobre como você contraiu o HIV. Assim como preocupações sobre se você transmitiu para ele (a).

Da mesma forma, há também a possibilidade de que seu parceiro (a) tenha transmitido para você. Por isso importante que a pessoa faça o teste de HIV – a unidade de saúde pode ajudar com isso.

Porém, cada pessoa enfrentará uma situação diferente. E para alguns essa situação será particularmente difícil.

Como contar a um novo parceiro (a)?

É normal sentir-se preocupado em ser rejeitado se disser a alguém que vive com o HIV – e essa é uma das preocupações mais frequentes que noto no meu consultório.

Obviamente que a pessoa terá preocupações sobre o risco de transmissão, mas provavelmente ela não sabe que tratamento evita isso. Estude sobre o “Indetectável = Intransmissível”, pois ajudará a se sentir mais seguro em relação ao sexo. Isso ajudou muitos casais ao longo da minha trajetória como infectologista.

E por fim, o “timing” é importante. Pode ser difícil falar sobre o HIV quando você acabou de conhecer alguém, mas adiar pode causar problemas ainda mais problemas mais tarde.

Posso trabalhar e viajar?

Como regra geral, seu empregador não precisa saber sobre que você vive com o HIV, pois o vírus raramente afeta a capacidade das pessoas de fazerem o trabalho delas.

Se você está preocupado com fofocas, não conte para os seus amigos e colegas de trabalho. No Brasil, é ilegal um empregador discriminar funcionários – e isso também vale para admissão – porque este vive com o HIV.

Você também será capaz de viajar para a maioria dos países do mundo. Mas alguns países têm restrições, geralmente para pessoas que solicitam visto de trabalho ou de residente. Para ter uma viagem segura, você precisará se preparar. 

Junte-se a mais de 10.000 pessoas

Entre para o nossa lista e receba dicas e conteúdos com exclusividade

Médico Infectologista

CRMPR 32.357

RQE 23.586

Nenhuma informação desta página e dos nossos produtos substitui uma consulta presencial com seu médico. Jamais faça nenhuma mudança no seu tratamento sem antes consultar seu médico ou profissional de saúde. É só ele quem poderá avaliar de perto a sua situação atual e decidir se você está apto ou não à essas alterações. Portanto, é imprescindível que você tenha acompanhamento médico para sua segurança. Se tiver qualquer dúvida, envie um email para richard@richardportier.com que responderemos o mais breve possível. Obrigado!

© 2020 Richard Portier. Todos os direitos reservados. Termos de uso.