ARTIGOS

Febre Amarela: tudo o que você precisa saber

Por Dr. Richard Portier

em 8 de agosto de 2020.

JUNTA-SE A MAIS DE 10.000 PESSOAS

Entre para o nossa lista e receba dicas e conteúdos com exclusividade

A febre amarela assustou o Brasil em 2016 e 2017. 

A doença foi exposta na imprensa nos últimos anos, principalmente pela epidemia que vivemos. Porém ela é facilmente prevenida através da vacina. 

Para o viajante, a vacina é muito importante. Não emitir o Certificado Internacional de Vacinação e Profilaxia pode arruinar sua viagem. 

Alguns países tem como requisito de entrada a vacinação contra a febre amarela. Se você chegar neste país sem comprovação de vacinação:

  • Te colocam em quarentena por até 6 dias.
  • Sua entrada é recusada. 

Esse documento é fundamental para a sua viagem, assim como outras medidas de prevenção. Porém algumas pessoas precisam de uma avaliação médica para definir os riscos e benefícios da vacina, já que ela é composta por vírus atenuado. 

Continue lendo esse artigo pois nele iremos abordar diversos aspectos da febre amarela, mas principalmente sobre a vacina.

O que é a febre amarela

A febre amarela é uma doença febril aguda causada por um arbovírus do gênero Flavivírus. Ele é encontrado em áreas tropicais e subtropicais na América do Sul e na África, inclusive no Brasil. 

Transmissão da febre amarela

O vírus é transmitido principalmente através da picada de mosquitos das espécies Aedes e Haemagogus infectados, permanecendo assim durante toda a vida. Eles adquirem o vírus ao picar primatas infectados (humanos ou não humanos) e, depois, transmitem a outros primatas (humanos ou não humanos).

Existem dois ciclos de transmissão: 

  • O silvestre envolve a transmissão do vírus entre primatas não humanos (por exemplo, macacos) e espécies de mosquitos encontrados na mata. O vírus é transmitido pelos insetos para os humanos quando estes estão visitando ou trabalhando na selva.
  • O ciclo urbano envolve a transmissão do vírus entre humanos e mosquitos urbanos, principalmente o Aedes aegypti. Esse ciclo foi erradicado no Brasil em 1942. 

Não há transmissão de pessoa para pessoa.

Prevenção da febre amarela

A vacina é principal forma de prevenir a infecção. Ela é composta por vírus vivo atenuado. No Brasil, após a epidemia de 2016 e 2017, é aplicada em todas as regiões do país. 

É realizada em apenas 1 dose e demora, no mínimo, 10 dias para proteger você. 

É recomendada para pessoas com 9 meses ou mais de idade que viajam ou moram em áreas de risco na América do Sul e na África. 

Ela é contraindicada para:

  1. Crianças com menos de 6 meses de idade.
  2. Qualquer pessoa com alergia grave a qualquer componente da vacina, incluindo ovos, proteínas de galinha ou gelatina.
  3. Qualquer pessoa que já teve uma reação grave a uma dose da vacina contra febre amarela .

“Richard, por que algumas pessoas não podem tomar a vacina ou precisão de uma prescrição médica para tomá-la?”

Pois é injetado, dentro de você, vírus vivo da febre amarela, porém, atenuado (mais fraco). O objetivo é desenvolver a defesa no seu organismo, para quando entrar em contato com o vírus selvagem, consiga se defender. Porém algumas pessoas com as condições descritas abaixo apresentam risco aumentado de eventos adversos graves – doença grave ou, muito raramente, morte. Isso porque elas podem não ter imunidade suficiente para se proteger contra o vírus “fraco” da vacina. Por isso é importante discutir com seu médico sobre os riscos e benefícios. 

  1. Sistema imunológico enfraquecido devido a alguma doença, como a AIDS, câncer maligno, leucemia, linfoma, transplante ou tratamento com imunossupressores (como corticóide, quimioterapia, entre outros).
  2. Distúrbio do timo.
  3. Adultos com 60 anos de idade ou mais.
  4. Mulheres grávidas e mães que amamentam.

Para a maioria das pessoas, uma dose fornece proteção para toda a vida. Ela está disponível gratuitamente no SUS. Vá até a unidade de saúde mais próxima da sua residência e se informe sobre como aplicá-la.

Reações são geralmente leves, como dores de cabeça, dores musculares e febre baixa. Eventos adversos graves são raros e podem ocorrer nas populações citadas acima. 

Sinais e sintomas da febre amarela

Os sintomas iniciam subitamente entre 3 a 6 dias após a transmissão do vírus e duram cerca de 3 dia. Os principais são: 

  1. Febre repentina.
  2. Calafrios.
  3. Dor de cabeça intensa.
  4. Dor nas costas.
  5. Dores no corpo.
  6. Náuseas e vômitos.
  7. Fadiga e fraqueza. 

A maioria das pessoas melhoram após os sintomas iniciais. No entanto, cerca de 15% das pessoas terão uma breve melhora, e então, desenvolverão a forma grave da doença. Os sintomas de gravidade são:

  1. Febre alta.
  2. Diarreia e vômitos com aspecto de borra de café.
  3. Icterícia (cor amarela da pele e da parte branca dos olhos).
  4. Sangramento espontâneo, principalmente na gengiva, nariz e ouvidos. Você também pode vomitar sangue (hematêmese) ou as fezes podem ficar pretas igual carvão (melena).
  5. Pressão baixa.
  6. Diminuição do volume de urina, até ficar sem urinar (oligúria e anúria).
  7. Insuficiência de órgãos. 
  8. Coma.

Aproximadamente 20 a 50% das pessoas que desenvolvem a doença grave morrem.

Se você mora em uma região endêmica da infecção, e apresenta alguns desses sintomas, procure atendimento médico imediato. A febre amarela é uma doença grave que leva a morte. 

Diagnóstico da febre amarela

O diagnóstico é baseado através dos sintomas, principalmente em regiões onde há epidemia. 

Para confirmar a infecção, são realizados exames chamados de sorologias, que detectam anticorpos produzidos pelo corpo em resposta a infecção. 

Outros exames de sangue são realizados para avaliar o funcionamento de diferentes órgãos, como o fígado e rins. 

Diagnóstico diferencial

Os sinais e sintomas da doença podem ser parecidos com outras, como a malária, leptospirose, hepatite A, hepatite B, hepatite C, febre hemorrágicas virais, dengue hemorrágica, infecções bacterianas graves, entre outras. 

Tratamento da febre amarela

Não há tratamento específico para a febre amarela. 

Se você apresentar sintomas graves, deve ser hospitalizado para monitorização e tratamento de suporte. É realizado hidratação, além do uso de analgésicos e antitérmicos.

Certos medicamentos devem ser evitados, como a aspirina ou outros antiinflamatórios (como o ibuprofeno), porque aumentam o risco de sangramento.

Febre Amarela e o Viajante

A vacina da febre amarela é a mais importante para o viajante.

Não emitir o Certificado Internacional de Vacinação e Profilaxia pode arruinar sua viagem, por isso ela é fundamental. Alguns países tem como requisito obrigatório de entrada a vacinação contra a febre amarela. Outros

exigem o comprovante se você vem de uma área de risco.

No Brasil, a Anvisa é o responsável pela emissão deste documento que comprova que você tomou a vacina contra a febre amarela. A partir do dia 28 do janeiro de 2019 ficou mais fácil obtê-lo. Com a transformação digital do serviço, a solicitação, o acompanhamento e o recebimento do certificado têm trâmite totalmente digital no prazo de até 5 dias úteis. Clique aqui para mais informações.

Se você não tem um histórico de vacinação, provavelmente terá que tomar doses extras de determinadas vacinas. Marque sua consulta com pelo menos 6 semanas de antecedência para avaliar se você pode tomar a vacina.

Conclusão

É fácil prevenir a febre amarela. Basta tomar a vacina. Se você apresenta risco de desenvolver efeitos colaterais, agende procure assistência médica para avaliar o risco-benefício da vacinação.

Junte-se a mais de 10.000 pessoas

Entre para o nossa lista e receba dicas e conteúdos com exclusividade

Médico Infectologista

CRMPR 32.357

RQE 23.586

Nenhuma informação desta página e dos nossos produtos substitui uma consulta presencial com seu médico. Jamais faça nenhuma mudança no seu tratamento sem antes consultar seu médico ou profissional de saúde. É só ele quem poderá avaliar de perto a sua situação atual e decidir se você está apto ou não à essas alterações. Portanto, é imprescindível que você tenha acompanhamento médico para sua segurança. Se tiver qualquer dúvida, envie um email para richard@richardportier.com que responderemos o mais breve possível. Obrigado!

© 2020 Richard Portier. Todos os direitos reservados. Termos de uso.